À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Lançamento do livro de crónicas está para breve | «O APITO QUE NÃO SE OUVIU» É O SEXTO TÍTULO DE GOCIANTE PATISSA

Foto: Nana Almeida
Acabam de chegar a Luanda, vindos do Brasil onde foi feita a impressão, os mil exemplares que conformam a primeira edição de «O Apito Que Não Se Ouviu», sexto livro da safra de Gociante Patissa e o primeiro no género crónica. Como de costume, a província de Benguela, onde o autor reside, acolherá a primeira cerimónia de lançamento, cuja data será anunciada brevemente pela União dos Escritores Angolanos, na condição de editora.

Com 100 páginas, a obra reúne, na óptica de Gociante Patissa, os melhores textos do seu blogue www.angodebates.blogspot.com, visando desta forma assinalar o oitavo aniversário de uma produção apaixonada nesta plataforma alternativa, no período compreendido entre 2006-2014, onde o literário, o jornalístico e o activismo cidadão se entrelaçam constantemente. No plano temático, as crónicas estão repartidas em três capítulos, nomeadamente VIAGENS (oito textos), POR DENTRO DA NOSSA GENTE (20 textos) e NA VIA (nove textos).

A crónica que dá título ao livro, «O Apito Que Não Se Ouviu», é uma homenagem a um amigo de adolescência e vizinho, no bairro Santa Cruz, Lobito, o Kalú, que perdeu a vida no exercício da sua actividade policial.
| FRAGMENTOS DO HISTORIAL |
Surgiu com o endereço www.angodebates.blogspot.com o blog «Angola Debates & ideias», em Agosto de 2006, denominação influenciada por um programa radiofónico semanal de mesa-redonda e debates sobre o exercício da cidadania e a saúde pública, que o autor realizava e conduzia através da Rádio Morena Comercial sob iniciativa da AJS, organização da sociedade civil angolana com sede no Lobito.

Inicialmente dedicado ao resumo e pinceladas aos assuntos debatidos, o blog, sem deixar de ser generalista, não tardou a encontrar a sua linha de marca. Tinha falado mais alto o bicho de «cronicar». Os textos acabavam publicados também na secção de escrita criativa do «Boletim A Voz do Olho», de produção quase artesanal e distribuição incipiente, igualmente projecto informativo, educativo e cultural mensal da AJS, do qual foi o Coordenador Editorial (...)

Na imprensa convencional, algumas crónicas foram retomadas pelo Semanário Angolense, Jornal Cultura, bem como pela Revista Tranquilidade, do Comando Geral da Polícia Nacional, com a qual o autor teve uma curta colaboração.

| Outros livros de Patissa |

— CONSULADO DO VAZIO (poesia), KAT - Consultoria e empreendimentos. Benguela, Angola, 2008.
— A ÚLTIMA OUVINTE (contos), União dos Escritores Angolanos. Luanda, Angola, 2010.
— NÃO TEM PERNAS O TEMPO (novela), União dos Escritores angolanos. Luanda, Angola, 2013.
— GUARDANAPO DE PAPEL (poesia), NósSomos. Luanda, Angola / VN Cerveira, Portugal, 2014.
— FÁTUSSENGÓLA, O HOMEM DO RÁDIO QUE ESPALHAVA DÚVIDAS (contos). GRECIMA. Programa Ler Angola. Luanda, Angola, 2014.

| Inclusão em antologias |

— III ANTOLOGIA DE POETAS LUSÓFONOS. Folheto Edições, Leiria, Portugal, 2010.
— CONVERSAS DE HOMENS NO CONTO ANGOLANO – Breve Antologia (1980-2010). União dos Escritores Angolanos, Luanda, Angola, 2011.
— BALADA DOS HOMENS QUE SONHAM – Breve Antologia do Conto Angolano (1980-2010). Clube do Autor, Lisboa, Portugal, 2012.
maior resolução
— DI VERSOS – POESIA E TRADUÇÃO, N.º 18. Edições Sempre-em-pé. Maia, Portugal, Fevereiro, 2013.
— A ARQUEOLOGIA DA PALAVRA E A ANATOMIA DA LÍNGUA – ANTOLOGIA POÉTICA. Movimento Literário Kuphaluxa. Maputo, Moçambique, 2013.
— DI VERSOS – Poesia e Tradução, N.º 22. Edições Sempre-em-pé. Maia, Portugal, Fevereiro, 2015.
— 800 ANOS/O FUTURO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Bela e o Monstro, parceria entre o jornal PÚBLICO e o «Movimento-2014». Lisboa, Junho de 2014.

| Distinções |

— Membro Efectivo da União dos Escritores Angolanos.
— Laureado do Prémio Provincial de Cultura e Artes 2012, categoria de Investigação em Ciências Sociais e Humanas, outorgado pela Direcção de Benguela da Cultura, pelo contributo na divulgação da língua e cultura Umbundu através do conto e novas Tecnologias de Informação e Comunicação.

— Vencedor do “FESTIVAL DE ARTES” da Sonangol EP 2014, categoria de poema.

Nenhum comentário: