À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Oratura: A CASA ENQUANTO VALOR PRIMÁRIO PARA OS OVIMBUNDU


"Ove ku kwete cimwe/ weh/ nye wantungila onjo?" (Tu que nada tens, por que construíste a casa?)

São versos de um cântico popular Umbundu de um rito que ocorre no Natal e passagem de ano, em que se anda de casa em casa na comunidade a cantar e dançar em virtude de se chegar com vida a tais épocas. Há outros temas mais positivos do cancioneiro, tais como "twa pandula ciwa/ weh/ etali ulima wapwa" (Estamos muito gratos que hoje acabou o ano). O tema em apreço em particular sai quando o dono ou dona de casa tarda a satisfazer a alegria dos festeiros, ao que se acrescenta "senhora é cototó/ vida do marinheiro". É tudo na boa.O ritual chama-se "sese" e normalmente os grupo são caracterizados por critérios de idade, mais concretamente o de crianças, o de jovens e adolescentes, e o de adultos. Na classe dos adultos, não tenho por agora a certeza se os homens também participam ou se se reserva apenas a senhoras. A finalidade da brincadeira é arrecadar bens alimentares para culminar com um piquenique, geralmente numa montanha. alguns bairros ainda preservam prática, mas com o tempo vai desaparecendo. Há aqui a reter que pela pergunta (no sentido de, "se nada tens, como construíste a casa?"), os Ovimbundu pressupõem que a casa é a riqueza primária, logo, se tu tens casa, tens sempre algo a partilhar com os visitantes.


OBS: Pesquisa em construção

Gociante Patissa, 11 Abril 2013

Nenhum comentário: