À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Porque não existe "EMBALA" em Umbundu

É frequente vermos, quer em textos literários, quer em informativos, quer ainda no discurso oral variado a palavra EMBALA, quando se refere à sede da autoridade tradicional do grupo etnolinguístico Ovimbundu. Ora, Ombala é equivalente ao Kikongo Mbanza, que significa sede ou capital. Neste caso, a raiz é MBALA, que tem o prefixo "O" no papel de artigo, uma vez que na morfologia Umbundu, todo o substantivo vem já acoplado ao artigo. OMBALA quer dizer a capital, a sede. A confusão pode ter partido da semelhança com a palavra portuguesa do verbo embalar. Por favor, na próxima vez que se referir ao poder tradicional, evite "embalar" no velho e confortável erro: EMBALA NÃO EXISTE. O PODER RESIDE NA OMBALA.

2 comentários:

Fernando Ribeiro disse...

Não me parece que embala tenha algo a ver com o verbo português embalar. A palavra embala deve ter sofrido o mesmo processo que a palavra embondeiro, em que a anteposição da letra e assinala a nasalação inicial da palavra mbondo em kimbundu (partindo do princípio que embondeiro vem do kimbundu).

Angola Debates e Ideias- G. Patissa disse...

Pode ser, amigo Fernando, o que não a torna correcta. Embala será qualquer coisa, menos o que reside no imaginário do povo e no que respeita ao Umbundu.