À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

segunda-feira, 10 de março de 2014

"Wakwimbila ombunje wakukulihinlã okuyakela" (adágio Umbundu)

"Wakwimbila ombunje wakukulihinlã okuyakela" (adágio Umbundu)

Literalmente: quem te atira a bola conhece em ti habilidades para agarra-lá.
Enquadramento: quem te lança um desafio ou delega responsabilidade tem das tuas valências.

3 comentários:

Daniel Costa disse...

É agradável, sobretudo para um escritor da lusófonia ler um adágio Umbundu. Ou na língua das várias étnias angolanas. O assunto, se ainda não foi, deveria ser objeto de um estudo.
Saudações

Daniel Costa disse...

O MEU SÉTIMO LIVRO “SONHO EMOÇÃO E POESIA”.
O livro, como todos os livros escritos por mim, estão bem abalizados por vários leitores. São esses, a quem o livro se dirige que podem ter a palavra, já que o autor, ao fazer o elogio, pode sempre ser considerado suspeito.
Um livro, uma obra, é acima de tudo uma proposta feita aos possíveis leitores.
O autor, como académico, pertence à ALAF – ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE FORTALEZA, CEARÁ.
Para o Brasil, Chamo a atenção que Banco Postal, que há um em todas as capitais estatais (em cerca de 600 cidades), que faz o cambio e envio do custo, neste caso de 10.00 €uros, o seu custo
Peça, enviando morada para: dan.costa@zonmail.pt – Receba o livro, envie pagamento depois.

PARA APERITIVO LEIA ABAIXO, UM POEMA DO LIVRO:



PRIMAVERA DA VIDA

Façamos dos nossos dias uma alvorada
Estejamos sempre na Primavera da vida
Esta terá de ser sempre amada
Viver é como sentir o perfume da giesta
Que dela sejamos sempre enamorados
Para que andemos em contínua festa
Vivamos sempre o amor com ditos e piropos
Ainda que a desgraça que no mundo grassa
Seja de nos trazer loucos
Devemos dar exemplos de alegria
Para vergonha de muitos governantes taralhocos
Que se julgam fadados para a mestria
Porém acabam por comandar naves
Ocas, que mais ocas transformam a cada dia
Revelam desamor pelo mundo
Revelando muita cobardia
Apenas sabem conduzir um mundo muito seu
Onde só exista a sua mordomia
Procuremos sempre amar
Esmagar com optimismo tanta fantasia
Que por nós passa, como se fosse graça
De quem julga saber de alquimia
Como se vivesse noutro planeta
Onde não houvesse a luz do dia
Façamos da vida uma permanente Primavera
Aprendamos a ser modernos
Gritemos bem alto: estamos noutra Era!...
Tenhamos amores sempre modernos e eternos
Que a Primavera da vida seja pura alegria quisera
Um mundo vivificado
Não uma permanente quimera!

Daniel Costa

Angola Debates e Ideias- G. Patissa disse...

Valeu a partilha, caro Daniel Costa. Saudações