À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS

À VENDA NOS SEGUINTES LOCAIS
PONTOS DE VENDA: União dos Escritores Angolanos; Rede de Supermercados KERO; Tabacaria GRILO (edifício do Mercado de Benguela); Livraria SUCAM, Benguela; Livrarias LELLO, MENSAGEM e na SALA DE EMBARQUE do AEROPORTO INTERNACIONAL 4 DE FEVEREIRO, Luanda

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Etali eteke lyoviholo vyofeka vo Ngola

Omo lyaco, twanena esinumwinlo lya yimwe vali onduku yutundasyahunlu kUmbundu, ndomo tu citanga vekongamenla lya Francisco Xavier Yambo, in «Pequeno Dicionário Antroponímico Umbundu» , Editorial Nzila, Luanda, 2003. (Hoje é o Dia da Cultura Nacional em Angola. Por isso, partilhamos a explicação sobre mais um nome tradicional Umbundu, conforme apresentado no livro de Francisco Xavier Yambo, in «Pequeno Dicionário Antroponímico Umbundu» , Editorial Nzila, Luanda, 2003.)

KALUMBU – este é o nome dado a uma criança quando a mãe concebeu num período irregular do ciclo menstrual. Elumbu quer dizer surpresa: A mãe não conta com a criança e, de um momento para o outro, acha-se grávida. É um estado de gravidez após um parto normal. A mulher, nestas condições, a amamentar nem sequer sonha com o ciclo menstrual; no entanto, decorridos alguns meses após o parto, apercebe-se de que está grávida. Nestas circunstâncias, a mulher recorre àquela mulher que já teve gémeos, para trata-la, porque seu tratamento é igual ao dos gémeos  O conceito tradicional sobre esta ocorrência é o seguinte: a mulher ficava grávida com o sangue daquela criança que nasceu e é por isso que se considera como se fosse gémea, embora falsa.

Nenhum comentário: